Linda

pexels-photo-788824.jpegPele brilhante de suor, cabelos perfeitamente desordenados, você mexia o corpo ao som de Rock the Casbah. Meus olhos acompanhavam seus quadris, para lá e para cá, num movimento lento e amplo que me deixava tonto. Avancei em sua direção sem ver mais nada, as mangas da camisa dobradas até os cotovelos, o queixo próximo do peito, olhos fitando minhas próprias sobrancelhas. Talvez eu colocasse as mãos na sua cintura e dançasse com você. Só aproximei os lábios de sua orelha e disse: linda. Seus olhos me deportaram para a Sibéria. Eu supliquei: mas, linda. Você disse: está na hora de você beber uma água. Água enferruja, linda. Na minha cabeça pareceu engraçado, desculpe.

Pedi outra cerveja, reclinei o corpo e apoiei o cotovelo sobre o balcão do bar. Dali eu podia ver você dançar. Toda vez que erguia os braços, fechava os olhos e sorria, deixando ver o espacinho entre os dentes da frente. Duas grandes argolas douradas pendiam dos lóbulos de suas orelhas. Você abriu os olhos e me viu. Trocou de lugar com sua amiga. Não me incomodei, assim eu podia ver outro ângulo seu.

Você traçou com os olhos seu caminho até o banheiro, passando distante de mim. Não queria que as coisas fossem desse jeito entre nós. Eu queria dizer: não seja assim, linda. Se você apenas me olhasse, talvez me visse de verdade. Se você me escutasse, eu teria tanto a dizer. Sua amiga foi na frente, puxando você pela mão. Era difícil abrir caminho na pista entre os corpos em movimento, mas vocês conseguiram.

Esperei na porta do banheiro como uma servil sentinela. Você saiu e eu chamei. Linda. Você não atendeu. Eu não sou assim, mas tive que pegar no seu braço. Só para chamar sua atenção. Senti o cheiro do seu creme de cabelo, você virando o rosto na minha direção. Em seguida, seu corpo todo se voltou para mim, em câmera lenta, ombro esquerdo, seios, ombro direito. A atração entre nossos corpos era incontornável como se a força gravitacional da Terra trouxesse para si o meteoro que acabaria com a vida de seus jurássicos habitantes. Não sei dizer se era o punho fechado da sua mão direita que vinha ou se era meu nariz que ia. Encontraram-se os dois no meio do caminho, em extraordinária colisão. Do alto, sua voz era agridoce, entrava em meus ouvidos como uma fanfarra marchando no desfile da Independência. Saiu alisando os nós dos dedos com a palma da outra mão. Um corredor se abriu entre os corpos – não mais em movimento – e você desfilou magnífica em direção à saída.

-//-

Camila me disse que abriu esse lugar novo, com bons drinks e música gostosa para dançar. Falou que eu precisava me divertir. E era verdade. Havia meses que eu trabalhava na dissertação do mestrado, aproveitando o silêncio da noite para escrever e dormindo durante o dia, dando ao mundo poucas oportunidades de me ver. Uma noite de distração não me faria mal, e poderia até ajudar naquele momento em que a pesquisa não estava rendendo e eu me sentia derrotada. Valia a pena me entregar a um leve torpor alcóolico e dançar até meu corpo desabar.

Ela usava um vestido preto, sandálias de salto alto e os cabelos presos no alto da nuca. Eu vesti um short de cintura alta, blusinha curta e sapatilhas. Meus pés não nasceram para se equilibrar sobre saltos. Ergui a raiz dos cabelos com o pente garfo, coloquei os brincos de argola que ganhei dela e me animei até para me maquiar. A fila ainda não era longa quando chegamos. Ao entrar, pedi um mojito para a Camila, uma cerveja para mim, e fomos para a pista. Passaram-se uns minutos e eu já estava distante das disputas sócio-antropológicas entre modelos abstratos de organização do mercado. Longe das burocracias acadêmicas e normas da ABNT. A gente devia fazer isso mais vezes.

Não demorou muito para sentir o bafo quente de um bêbado na minha orelha. Inferno. Tentei dispensá-lo com educação. Ele se afastou, mas deixou para trás o bafo e um rastro de inconveniência. Procurei um lugar para me abrigar dos seus olhos. Camila me disse pra esquecer e relaxar. Certo. Fechei meus olhos para não ver mais. A música era boa mesmo. Era quase possível ignorar a hostilidade do desejo alheio que se impunha sem convite sobre cada movimento meu. Camila insistia que eu não deixasse um desconhecido estragar nossa noite. Ela quis trocar de lugar comigo. Eu sentia aqueles olhos de coruja velha colados na minha nuca. Queria outra cerveja, mas ele não saía do balcão do bar. Concentrei na música até a vontade passar.

Mais tarde, Camila e eu saíamos do banheiro, ele me puxou pelo braço. O meu fucking braço. Minha pele. Minha noite. Minha garganta seca. Fiquei paralisada, com o ódio em ebulição na parte interna das bochechas. Meu corpo ofendido respondeu por mim sem que eu mandasse. Cravei as unhas na palma da mão, formando um pequeno bloco maciço de carne, osso e ferro fundido. Mirei entre os olhos de coruja e meu braço disparou. Caído no chão, ele encontrou seu espaço e não invadia mais o de ninguém. MEU NOME NÃO É LINDA, OTÁRIO.

Anúncios

Jota Peg

photo-album-photographer-old-47816.jpegNa casa dos meus pais, os álbuns de fotografia ficam na estante da sala. Eu costumava pensar que era para facilitar o ritual do constrangimento. As visitas de domingo chegavam para o almoço e a conversa começava meteorológica. Esse verão que só chove, os invernos que já não são frios como antigamente, mas e a seca no Nordeste, você viu que tristeza. Daí pulava para a política. Poderia ser um assunto inoportuno, mas ainda que parecessem exaltados, todos se assentavam na confortável certeza de que os políticos não valem nada, sem exceção, não tem diferença nenhuma entre os partidos, mas claro que esse que está no governo agora é o pior. Na sobremesa os assuntos se dividiam, os homens falavam de futebol e as mulheres da novela. No cafezinho já estavam quase sem assunto, e então minha mãe pegava os álbuns. Ignorando os protestos meus e de meus irmãos, exibia com orgulho as memórias estampadas em papel fotográfico desbotado. Olha só como eu estava linda no meu casamento, tão magra. E aqui o Júnior peladinho, que graça. Nesse dia aqui a Marcinha abriu o berreiro porque queria ir na montanha russa do parque. Adivinha só? Vomitou lá no alto e voltou chorando. Minha mãe contava e gargalhava, os olhos úmidos de tanto rir. Eu traçava em silêncio planos de vingança por aqueles anos de humilhação.

Eu já tinha vinte e um quando minha mãe me contou por que os álbuns ficavam naquela mobília específica. Não era apenas para entreter visitantes enfadados pela falta de assunto. Minha mãe imaginava que, na eventualidade de uma catástrofe, seria mais fácil salvar as relíquias da família se elas estivessem ali, perto da porta de saída. Se a casa pega fogo, minha filha, largo tudo pra trás, menos as fotografias. Não havia então discos rígidos e a nuvem era somente sinal de chuva, e não uma rede abstrata onde se podem armazenar dados. Para minha mãe, aqueles álbuns de fotografia eram a coisa mais preciosa que tínhamos, depois de nós mesmos.

Um filme de 12 poses durava tempos lá em casa. Nos aniversários, minha mãe fazia todos os convidados se espremerem atrás da mesa do bolo, e fazia uma única fotografia para registrar o evento. Também era assim no Natal, nos passeios de férias e outras ocasiões dignas de registro. O filme de 36 poses era proporcionalmente mais barato, mas minha mãe o evitava porque não suportava ter que esperar tanto tempo até que pudesse ser revelado.

Minha relação com a fotografia é diferente, mas também um pouco parecida. Faço dezenas de fotografias todos os dias, de coisas como meu café com um biscoitinho no pires ou o engarrafamento no final de tarde. E nenhuma imagem está sozinha. Todas são acompanhadas de uma sequência de cenas praticamente idênticas, das quais ao final seleciono uma para aplicar o melhor filtro e publicar numa rede social. Nas raras situações em que decido imprimir uma fotografia, conferindo-lhe existência para além do digital, é porque ela tem valor especial para mim. Nem toda imagem merece traçar seu caminho de tinta dos pixels até o papel. Algumas felicidades não ultrapassam a extensão do arquivo digital.

Quando planejávamos nosso casamento, convenci Maurício a investir boa parte de nosso orçamento para contratar um excelente fotógrafo. Eu disse que era mais importante que a banda, o uísque e os bem-casados. A fotografia era essencial. O profissional escolhido superou nossas expectativas. Receber as prévias em baixa definição foi suficiente para termos certeza de que nosso dinheiro havia sido bem empregado. Ele não apenas capturou com maestria nossas emoções, mas conseguiu retratar a cerimônia e a festa com tanta beleza que elas pareciam melhores nas imagens do que tinham sido na realidade.

Quase dois anos se passaram até que eu finalmente selecionasse, sozinha, as noventa imagens que iriam compor o álbum do casamento. O de verdade, que colocaríamos na estante da sala. Maurício e eu tentamos fazer isso juntos diversas vezes, mas sempre acabávamos discutindo – ele queria uma foto porque nela sua mãe estava sorrindo, não se importando com o fato de que naquele clique específico eu estava com queixo duplo. Ou éramos vencidos por uma associação infalível de tédio e procrastinação. Vamos só ver um episódio daquela série, depois continuamos. Mas logo agora que chegou a pizza. Vou só tomar um banho e já vemos isso. Acabei escolhendo sozinha e ele não disse nada. Depois de um tempo, eu decidia muitas coisas sozinha. Ele raramente dizia alguma coisa.

Nas fotografias diárias estávamos sempre sorridentes, brindando com cervejas artesanais, saboreando hambúrguer de costela no food truck, completando o treino de dez quilômetros no domingo de manhã. Os sorrisos eram ativados pelo botão de fotografar como se fosse um controle remoto. Publicada a imagem com as devidas hashtags, engolíamos o silêncio. No escuro, sob o peso de seu corpo, eu fechava os olhos e pensava no homem que aparecia ao meu lado nas fotos. Seria incrível ser amada como eu parecia ser amada por ele. O sexo era como a corrida no parque: distância programada, velocidade controlada, tempo cada vez menor. Terminava com ele indo para o chuveiro antes que eu conseguisse encontrar minha calcinha entre os lençóis.

O telefone de Maurício vibrou. Na tela bloqueada, Renata perguntava se ele estava acordado. Acendi a luz. Peguei os óculos na mesinha de cabeceira. Olhei de novo. Um segundo alerta vibratório acompanhou o surgimento de um pequeno ícone de imagem. A senha ainda era a mesma de todos os seus dispositivos eletrônicos. Renata estava deitada, segurando o aparelho celular com os dois braços erguidos, num ângulo que afinava seu rosto e permitia ver seu corpo nu, desde a testa até o início das coxas. Respirei fundo e percebi um cubo incandescente dentro do meu estômago. Ajeitei a postura, abrindo os ombros, e o cubo foi rolando esôfago acima, as arestas ferindo e queimando meu tubo digestivo. Meus olhos ardiam e embaçavam as lentes dos óculos. Vomitei o cubo de lava. Sobre o lençol branco, parecia só vinho tinto. Maurício saiu do banheiro vestindo uma nuvem de vapor e gotículas sobre os pelos. O que aconteceu? Você tá bem? Atirei o celular nele com força.

Não é isso. Calma. Eu explico. Espera. Só estamos conversando. Foi só dessa vez. Ela que me procurou. Não aconteceu nada. É só virtual. Não vai acontecer de novo. Me perdoa. Eu não pedi foto nenhuma. Ela não vale nada, só quer me ferrar. Você tá sendo irracional. Vai dizer que você nunca falou com seu ex? Cala a boca e me escuta, sua louca. Desculpa. Calma, não falei por mal. Eu errei, mas te amo.

Hoje vi uma foto de Renata e Maurício, suados e sorridentes. Na legenda: corridinha básica para espantar o frio, hashtag mozão hashtag parceria hashtag casal corredor. Eu ri.

A capa do álbum tem a inscrição Nossas Núpcias, escrita com uma fonte de ângulos suaves e arredondados. É um pouco brega, mas eu quis um toque vintage. Parece com o álbum dos meus pais. As letras ficam engraçadas quando dançam no fogo. Uma vez minha mãe queimou sem querer um filme inteiro de 12 poses, abrindo a câmera antes de enrolar o negativo. Ela chorou. Queimar fotografias usando fósforos e álcool em gel é mais difícil. A chama viscosa e azul se arrasta devagar sobre a capa dura e o papel fosco. Nas primeiras três tentativas, o fogo morreu antes de causar algum dano ao vestido branco. Precisei rasgar as fotografias, uma a uma, antes que elas se convertessem em fumaça e cinza. Não chorei. Na casa dos meus pais, as fotografias ficam na rota de fuga para escapar em caso de incêndio.

Programação cultural da semana – Curitiba – 30 de junho a 06 de julho

Fifa Fan Fest na Pedreira Paulo Leminski, em Curitiba
Fifa Fan Fest na Pedreira Paulo Leminski, em Curitiba

A fim de fazer coisas diferentes essa semana? Fique ligado no que está rolando na cidade! Como sempre, várias atrações são na faixa!

CINEMA

Para os apaixonados pela sétima arte, há várias atrações além do circuito comercial dos cinemas. Essa semana se encerra  a Mostra Do Prelo ao Pixel, que vai até 05 de julho, das 14h30 às 18h30, no Centro de Arte Digital – MuMA / Portão Cultural. A entrada é franca.

O Cine Guarani – Portão Cultural apresenta o Programa Cultura e Religiosidade Popular, um programa composto por quatro curtas-metragens de Geraldo Sarno e Eduardo Escorel. Vai até 30/07/2014, de terça a domingo, às 17h30, e a entrada  também é na faixa.

Para as crianças, também no Cine Guarani – Portão Cultural, ocorre a Exibição do programa ANIMAÇÕES INFANTIS, até 09/07/2014, de terça a domingo, 16h00. Entrada franca.

DANÇA

A semana toda vai ser recheada de opções para quem é fã de folclore internacional. No Guairão, vai ter Folclore Ucraniano Barvinok no dia 1º de julho; Folclore Centro Espanhol do Paraná no dia 2 de julhoJunak Folclore Polonês, no dia 3 de julhoOriginal Einighkeit Tanzgruppe – Isola Del Sole; no dia 4 de julho, e apresentação do Centro de Tradições Brasileiras Santa Mônica – Grego Neoléa no dia 5 de julho. As apresentações de folclore acontecem sempre às 20h30 e o preço único é R$ 25,00.

No Teatro Cleon Jacques, a dica é o espetáculo So you “really” think you can dance, até o dia 06 de julho, quartas e sextas às 9h30 e 14h30, terças, quintas e sábados às 20h, domingos às 19h. A entrada é franca.

 

EXPOSIÇÕES

Se você ainda não foi ver a exposição A Magia de Miró, na Caixa Cultural, não sabe o que está perdendo. A exposição vai até 20 de julho de 2014 (terça-feira a domingo), e a entrada é franca.

Também  até 20 de julho vai a exposição Encantos de España, na Casa de Leitura Miguel de Cervantes, na Praça de Espanha, com a participação de artistas brasileiros e espanhóis.

Confira também a programação do MON (Museu Oscar Niemeyer) (ingressos R$ 6,00 e R$ 3,00) e do MAC (Museu de Arte Contemporânea do Paraná) (entrada franca).

FESTIVAIS

No clima da Copa, o Mercado Municipal de Curitiba promove o Festival de Aromas e Sabores, que vai até 13 de julho. Veja aqui a programação completa.

E por falar em Copa, essa semana essas são as atrações da FIFA Fan Fest em Curitiba:

1º de julho
11h30 – Grupo Ucraniano Poltava
15h05 – Fran Tenório
19h05 – Charme Chulo

04 de julho
11h30 – Hillbilly Rawhide
15h05 – Relespública
19h05 – Musik

05 de julho
11h30 – Audac
15h05 – Lou Dog
19h05 – Erasmo Carlos

Para entrar na Fan Fest é preciso retirar pulseiras no Centro de Criatividade do Parque São Lourenço, das 9 às 19 horas ou até acabar o estoque.

 

 

LITERATURA

Nem a literatura escapa do futebol durante a Copa do Mundo. A Casa da Leitura Osman Lins realiza até 11 de julho a Copa Literária, uma exposição de livros de autores dos 32 países que participarão da Copa do Mundo no Brasil, além de curiosidades sobre seus hinos. De segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30. Entrada franca.

MÚSICA

Quem disse que curitibano não tem samba no pé? Toda segunda-feira, no TUC (Teatro Universitário de Curitiba), rola o Samba do Compositor Paranaense, das 19h30 às 22h. A entrada é franca, só chegar.

Pra quem prefere os clássicos, tem Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná no dia 6 de julho, às 10h30, no Guairão. O preço único é R$20,00.

TEATRO

Ainda dá tempo de ver alguns espetáculos da Mostra Novos Repertórios, no Teatro Novelas Curitibanas, todos com entrada franca:

  • 01 e 02 de julho – Peça “Com Amor”, Teatro de Breque;
  • 02 de julho, às 16h – Mesa Redonda “Cinema como ferramenta da construção cênica”, Mediação de Nina Rosa Sá;
  • 08 e 09 de julho – Peça “Circo Negro”, pela CiaSenhas de Teatro;
  • 09 de julho, às 16h – Mesa Redonda “Dramaturgia fragmentada na construção da cena”, Mediação de Sueli Araujo.

Também no Novelas Curitibanas e também na faixa, você pode ver ainda a peça Um carvalho, até 20 de julho, às 20h.

A BALADA DO CÁRCERE DE READING, peça teatral baseada em texto de Oscar Wilde, fica em cartaz até 12 de julho, às 21h e 19h (domingos), no Teatro José Maria Santos. Preço único: R$ 40,00. No mesmo teatro você vê TEMPO DE SE CUIDAR, no dia 6 de julho, às 11h, por R$ 5,00.

Já no Miniauditório do Guaíra, por R$30,00, você pode ver Amor com humor se paga, de 3 a 13 de julho (quintas e sextas às 21h, sábados às 18h e 21h, domingos às 17h e 20h).

 

Gostou? Se você for a uma das atrações que viu aqui, conte pra gente! Se compartilhar em alguma rede social, marque o #tokaoki!

 

Programação cultural da semana – Curitiba – 23 a 29 de junho

Paço da Liberdade, Curitiba.
Paço da Liberdade, Curitiba.

A fim de fazer coisas diferentes essa semana? Fique ligado no que está rolando na cidade! Várias atrações são na faixa!

CINEMA

Cine na Terça: o projeto “Cine na Terça”, do Sesc Paço da Liberdade, traz um filme diferente a cada terça-feira, às 19h. Vagas: 56. Local: CinePensamento. Entrada franca.

Mostra Do Prelo ao Pixel: 28 de junho e 05 de julho, das 14h30 às 18h30, no Centro de Arte Digital – MuMA / Portão Cultural. Entrada franca.

Programa Cultura e Religiosidade Popular (programa composto por quatro curtas-metragens de Geraldo Sarno e Eduardo Escorel): até 30/07/2014, de terça a domingo, às 17h30, no Cine Guarani – Portão Cultural. Entrada franca.

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho: até 25/06/2014, de terça a domingo, 18h30 e 20h15, no Cine Guarani – Portão Cultural. Ingresso: R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia-entrada).

Exibição do programa ANIMAÇÕES INFANTIS: até 09/07/2014, de terça a domingo, 16h00, no Cine Guarani – Portão Cultural. Entrada franca.

Ciclo de Cinema Equatoriano: na Cinemateca de Curitiba. Entrada franca.

Dia 27, às 17h – FORA DO JOGO | Fuera de juego;  às 19h – A TIGRESA | La Tigra;

Dia 28, às 19h – RATAZANAS, RATOS E LADRÕES | Ratas, ratones e rateros;

Dia 29; às 17h – DOIS PARA O CAMINHO | Dos para el camino.

DANÇA

Input (DesCompanhia de Dança): até 29 de junho (quinta a sábado, 20h, domingo, 18h), no Teatro Antonio Carlos Kraide. Entrada franca. Mais informações: (41) 3229-4458 / 3233-8034 / 9601-8553.

A SAGRAÇÃO DA PRIMAVERA (Apresentação do Balé Teatro Guaíra): 25 e 26 de junho, às 20h30, no Guairão. Preço Único: R$ 20,00.

MOSTRA PARANAENSE DE DANÇA 2014: 27 e 28 de junho às 20h, e 29 de junho às 18h, no Guairão. Preço Único: R$ 16,00.

EXPOSIÇÕES

A Magia de Miróaté 20 de julho de 2014 (terça-feira a domingo), na Caixa Cultural. Entrada franca. Mais informações aqui: http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Releases/Noticia.aspx?releID=189

Invasão: Somos Dois e Somos Muitos: até 30 de junho, no Paço da Liberdade. Entrada franca. Informações: http://www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Encantos de España: até 20 de julho, na Casa de Leitura Miguel de Cervantes, na Praça de Espanha, com a participação de artistas brasileiros e espanhóis.

Confira também a programação do MON (Museu Oscar Niemeyer) (ingressos R$ 6,00 e R$ 3,00) e do MAC (Museu de Arte Contemporânea do Paraná) (entrada franca).

LITERATURA

Copa Literária: Exposição de livros de autores dos 32 países que participarão da Copa do Mundo no Brasil, além de curiosidades sobre seus hinos. Com equipe da Casa da Leitura. Até 11 de julho, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, na Casa da Leitura Osman LinsEntrada franca.

MÚSICA

Banda Della Mae: 25 de junho, às 20h, no Teatro do Paiol. Entrada franca.

Samba do Compositor Paranaense: toda segunda-feira, das 19h30 às 22h, no TUC (Teatro Universitário de Curitiba). Entrada franca.

Canja de Viola: todos os domingos, das 14 às 18 horas, ocorre no Teatro Universitário de Curitiba (TUC) a Canja de Viola, com apresentação de 25 cantores ou duplas, apresentando músicas autorais ou interpretadas. Entrada franca.

 Espetáculo “Isto é Modinha“: 25 de junho, às 20h, na Capela de Santa Maria; 26 de junho, às 19h, na Casa Hoffmann; 27 de junho, às 19h, no Teatro Universitário de Curitiba (TUC); 28 de junho, às 19h, na Sala Scabi; 29 de junho, às 19h, no Teatro do Paiol. Entrada franca.

Quarteto Iguaçu e Sarah Lorena: 26 de junho, às 20h30, no Guairinha. R$ 30,00.

Ravi Brasileiro: 27 de junho, às 18h, Entorno do Sesc Paço da Liberdade. Entrada franca.

Clube de Jazz do Sesc Paço da Liberdade: 26 de junho, às 20h, na Sala de Atos do Sesc Paço da Liberdade. Comerciário: R$ 3,00. Não comerciário: R$ 6,00.

 

TEATRO

 

Ouve-me com o teu corpo inteiro: até 29 de junho (quinta a sábado, 21h, domingos, 20h), no miniauditório do Guaíra.  Preço Único: R$30,00. Mais informações: http://www.teatroguaira.pr.gov.br/

Bimbo (infantil)até 29 de junho (sextas a domingos às 16h), no miniauditório do Guaíra. Ingressos R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia entrada). Mais informações: http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=lazer&id=249688

Mostra Novos Repertórios, no Teatro Novelas Curitibanas, Entrada franca:

  • 24 e 25 de junho, às 20h – Peça “JukeBox”, de Vigor Mortis;
  • 25 de junho, às 16h – Mesa Redonda “Possiblidades de criação cênica a partir da linguagem”, Mediação de Paulo Biscaia Filho;
  • 01 e 02 de julho – Peça “Com Amor”, Teatro de Breque;
  • 02 de julho, às 16h – Mesa Redonda “Cinema como ferramenta da construção cênica”, Mediação de Nina Rosa Sá;
  • 08 e 09 de julho – Peça “Circo Negro”, pela CiaSenhas de Teatro;
  • 09 de julho, às 16h – Mesa Redonda “Dramaturgia fragmentada na construção da cena”, Mediação de Sueli Araujo.

Buraco da Fechadura20 a 29 de junho, 20h, no Guairinha. R$ 30,00.

Um carvalho: até 20 de julho, 20h, no Teatro Novelas Curitibanas. Entrada franca.

Assim será: 26 a 29 de junho, às 15h e 17h, no Teatro de Bonecos Dr. Botica. R$ 15,00 e R$ 7,50 (meia entrada).

Irmãos Zulus: 29 de junho, às 11h, no Teatro do Piá. Entrada franca.

A BALADA DO CÁRCERE DE READING (Peça teatral baseada em texto de Oscar Wilde): 26 de junho a 12 de julho, às 21h e 19h (domingos), no Teatro José Maria Santos. Preço único: R$ 40,00.

 

Gostou? Se você for a uma das atrações que viu aqui, conte pra gente! Se compartilhar em alguma rede social, marque o #tokaoki!

 

Programação cultural da semana – Curitiba – 18 a 22 de junho

Teatro Paiol - Curitiba
Teatro Paiol – Curitiba

Peço perdão pelo atraso na publicação da programação cultural essa semana. Meu irmão lindo se submeteu a uma longa e complexa cirurgia ontem, razão pela qual desde os dias que a antecederam eu não consegui pensar em mais nada. Felizmente, a cirurgia foi um sucesso, o lindão está se recuperando bem, e lentamente estou voltando a pensar em outros assuntos. Aproveite que ainda dá tempo de curtir muita coisa boa em Curitiba essa semana! VÁRIOS PROGRAMAS GRATUITOS, E MUITOS SÃO SÓ ATÉ HOJE! CORRE!

CINEMA

Mostra Do Prelo ao Pixel: 21, 28 de junho e 05 de julho, das 14h30 às 18h30, no Centro de Arte Digital – MuMA / Portão Cultural. Entrada franca. Informações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/cinema/agenda/mostra-do-prelo-ao-pixel

Mostra de Cinema Espanhol “Histórias de Futebol”, na Cinemateca de Curitiba, Entrada franca:

  • Dia 19: 16h – El Sueño de Ivan (2011); 18h – Dias de fútbol (2003); 20h – Rivales (2008).
  • Dia 20: 18h – En Fuera de Juego (2011); 20h – Rivales (2008).
  • Dia 21: 18h – Dias de fútbol (2003); 20h – Rivales (2008).
  • Dia 22: 16h – El Sueño de Ivan (2011); 18h – Dias de fútbol (2003); 20h – En Fuera de Juego (2011)

Programa Cultura e Religiosidade Popular (programa composto por quatro curtas-metragens de Geraldo Sarno e Eduardo Escorel): até 30/07/2014, de terça a domingo, às 17h30, no Cine Guarani – Portão Cultural. Entrada franca.

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho: 13/06/2014 a 25/06/2014, de terça a domingo, 18h30 e 20h15, no Cine Guarani – Portão Cultural. Ingresso: R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia-entrada).

Exibição do programa ANIMAÇÕES INFANTIS: 13/06/2014 a 09/07/2014, de terça a domingo, 16h00, no Cine Guarani – Portão Cultural. Entrada franca.

DANÇA

Input (DesCompanhia de Dança): até 29 de junho (quinta a sábado, 20h, domingo, 18h), no Teatro Antonio Carlos Kraide. Entrada franca. Mais informações: (41) 3229-4458 / 3233-8034 / 9601-8553.

A Loucura de Bispo: até 22 de junho, no Memorial de Curitiba – Sala Londrina. Entrada franca. Mais informações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/danca/agenda/espetaculo-a-loucura-de-bispo

CIA. ELIANE FETZER DE DANÇA CONTEMPORÂNEA (espetáculo contando lenda das Cataratas do Iguaçu): 18/06/2014, às 20h30, no Guairão. Entrada Franca

EXPOSIÇÕES

A Magia de Miróaté 20 de julho de 2014 (terça-feira a domingo), na Caixa Cultural. Entrada franca. Mais informações aqui: http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Releases/Noticia.aspx?releID=189

Viagens Fotográficas: até 22 de junho, 9h às 12h e 13h às 18h (3ª a 6ª feira); 9h às 14h (sábado, domingo e feriados), na Casa Romário Martins. Entrada francaInformações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/patrimonio-cultural/agenda/viagens-fotograficas

 

Invasão: Somos Dois e Somos Muitos: até 30 de junho, no Paço da Liberdade. Entrada franca. Informações: http://www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Encantos de España: até 20 de julho, na Casa de Leitura Miguel de Cervantes, na Praça de Espanha, com a participação de artistas brasileiros e espanhóis.

Confira também a programação do MON (Museu Oscar Niemeyer) (ingressos R$ 6,00 e R$ 3,00) e do MAC (Museu de Arte Contemporânea do Paraná) (entrada franca).

FESTIVAL

IMIN MATSURI – 24º Festival da Imigração Japonesa: dias 21 e 22 de junho. As atividades começam às 11:00 horas, nos dois dias do evento. A abertura oficial será no sábado (21) às 14:00 horas, seguido do tradicional motitsuki (preparo do moti – bolinho de arroz). Na sequência iniciam-se as apresentações no palco: bon odori (dança folclórica com a participação do público), nihon buyou (dança tradicional japonesa), yosakoi soran (dança moderna dos festivais do Japão), karaokê (infanto-juvenil e cantores de destaque em Curitiba), taiko (tambores japoneses – grupos Wakaba e RKMD), Karis Kids, matsuri dance e cosplay. Na Expo Renault Barigui, Parque Barigui – Curitiba, PR. Ingressos: 5,00 (Isenção até 5 e acima de 65 anos)

Empório El Día E – celebração dos países hispânicos: dias 21 e 22 de junho. No sábado haverá apresentação de danças típicas e músicas do Paraguai, Bolívia, Colômbia, Peru, Costa Rica e Espanha, a partir das 14h até as 20h. No domingo as atrações serão às 14h e às 16h. Diversos restaurantes participam com stands oferecendo culinária típica dos países hispânicos. Mais informações: http://madapereira.blogspot.com.br/2014/06/praca-da-espanha-promove-el-dia-e.html

LITERATURA

Copa Literária: Exposição de livros de autores dos 32 países que participarão da Copa do Mundo no Brasil, além de curiosidades sobre seus hinos. Com equipe da Casa da Leitura. Até 11 de julho, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, na Casa da Leitura Osman Lins. Entrada franca.

MÚSICA

Passado de Glória – Monarco 80 anos: 21/06/2014 a 22/06/2014, às 20h, no Teatro do Paiol. R$ 40,00.

Arnaldo Freitas e Viola Quebrada: 19/06/2014, às 20h30, no Teatro do Paiol. R$20,00 e R$10,00 (meia).

Música nos Parques: 22 de junho, a partir das 10h, nas Ruínas de São Francisco: 10h João Egashira e Grupo, 11h As Rosas não Calam – 10 anos da Rosa Flô, 12h Serra acima – Música de Viola nos Parques Curitibanos, 13h Show Volátil, com Iria Braga e Davi Sartori. Entrada franca.

Música nos Parques: 22 de junho, a partir das 13h, no Parque Atuba: 13h Molungo nos Parques, 14h Cordas e Sanfonas, Um Passeio Musical pelo Parque, 15h Jazz Cigano Quinteto. Entrada franca.

Camerata Antiqua de Curitiba – Em torno de Bach: 21 e 22 de junho, às 18h30, na Capela Santa Maria. Ingressos: R$30 e R$15.

Canja de Viola: todos os domingos, das 14 às 18 horas, ocorre no Teatro Universitário de Curitiba (TUC) a Canja de Viola, com apresentação de 25 cantores ou duplas, apresentando músicas autorais ou interpretadas. Entrada franca.

Mulheres Cantam Chico: 18 de junho, às 20h, no Paço da Liberdade. Comerciário: R$ 5,00. Não comerciário: R$ 10,00.

TEATRO

Mostra Novos Repertórios, no Teatro Novelas Curitibanas, Entrada franca:

  • 17 e 18 de junho, às 20h – Peça “Descartes com Lentes”, pela Companhia Brasileira de Teatro;
  • 18 de junho, às 16h – Mesa Redonda “Fisicalidade da palavra em cena”, Mediação de Marcio Abreu;
  • 24 e 25 de junho, às 20h – Peça “JukeBox”, de Vigor Mortis;
  • 25 de junho, às 16h – Mesa Redonda “Possiblidades de criação cênica a partir da linguagem”, Mediação de Paulo Biscaia Filho;
  • 01 e 02 de julho – Peça “Com Amor”, Teatro de Breque;
  • 02 de julho, às 16h – Mesa Redonda “Cinema como ferramenta da construção cênica”, Mediação de Nina Rosa Sá;
  • 08 e 09 de julho – Peça “Circo Negro”, pela CiaSenhas de Teatro;
  • 09 de julho, às 16h – Mesa Redonda “Dramaturgia fragmentada na construção da cena”, Mediação de Sueli Araujo.

 

Nhá Pipoca e Nhô Pinhão (teatro de bonecos)19 a 22 de junho, 15h e 17h, R$ 15,00 e R$ 7,50 (meia), no Teatro de Bonecos Dr. Botica.

Um Carvalho: 19 de junho a 20 de julho, 20h, no Teatro Novelas Curitibanas. Entrada franca.

Colecionador de Histórias15 a 22 de junho, 11h, no Teatro do Piá. Entrada franca.

Buraco da Fechadura: 20 a 29 de junho, 20h, no Guairinha. R$ 30,00.

Ouve-me com teu corpo inteiro: até 29 de junho (quinta a sábado, 21h, domingos, 20h), no miniauditório do Guaíra.  Preço Único: R$30,00.

Bimbo (infantil)até 29 de junho (sextas a domingos às 16h), no miniauditório do Guaíra. Ingressos R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia entrada). Mais informações: http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=lazer&id=249688

Gostou? Se você for a uma das atrações que viu aqui, conte pra gente! Se compartilhar em alguma rede social, marque o #tokaoki!

Curitiba – Programação cultural da semana – 02 a 08 de junho

1744870f805b27703e6964d3165778edA fim de fazer coisas diferentes essa semana? Fique ligado no que está rolando na cidade! Várias atrações são na faixa!

CINEMA

Festival Olhar de Cinema: até quinta-feira, dia 05/06. Entradas a R$ 5,00 (inteira) e R$ 2,50 (meia). Mais informações e programação completa aqui: http://olhardecinema.com.br/

Românticos Anônimos, 3 de junho, às 19h, no CinePensamento do Sesc Paço da Liberdade. Entrada franca. TODA TERÇA, NESSE HORÁRIO, HÁ EXIBIÇÃO GRATUITA DE UM FILME DIFERENTE. Informações: http://www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

DANÇA

Input (DesCompanhia de Dança): de 05 a 29 de junho (quinta a sábado, 20h, domingo, 18h), no Teatro Antonio Carlos Kraide. Entrada franca. Mais informações: (41) 3229-4458 / 3233-8034 / 9601-8553.

A Loucura de Bispo: de 05 a 22 de junho, no Memorial de Curitiba – Sala Londrina. Entrada franca. Mais informações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/danca/agenda/espetaculo-a-loucura-de-bispo

Bife Sujo: A Invenção Curitiboca – com Denorex 80: dia 06 de junho, às 21h, no Teatro Regina Vogue. Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia entrada). Informações: http://www.reginavogue.com.br/

EXPOSIÇÕES

A Magia de Miró: até 20 de julho de 2014 (terça-feira a domingo), na Caixa Cultural. Entrada franca. Mais informações aqui: http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Releases/Noticia.aspx?releID=189

Viagens Fotográficas: até 22 de junho, 9h às 12h e 13h às 18h (3ª a 6ª feira); 9h às 14h (sábado, domingo e feriados), na Casa Romário Martins. Entrada francaInformações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/patrimonio-cultural/agenda/viagens-fotograficas

Invasão: Somos Dois e Somos Muitos:  até 30 de junho, no Paço da Liberdade. Entrada franca. Informações: http://www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Confira também a programação do MON (Museu Oscar Niemeyer) (ingressos R$ 6,00 e R$ 3,00) e do MAC (Museu de Arte Contemporânea do Paraná) (entrada franca).

LITERATURA

Debate – Processos de Criação e Formação de Escritores. 04 de junho, às 19h30, no Palacete Wolf. Entrada franca. Informações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/literatura/agenda/processos-de-criacao-e-formacao-de-escritores

MÚSICA

Concerto da Orquestra Sinfônica da EMBAP: dia 03 de junho, às 20h30, no Guairão. Entrada francaMais informações: (41) 3017-2058.

Duo Santoro (violoncelos): dias 6, 7 e 8 de junho (sexta e sábado às 20h e domingo às 19h), no Teatro da Caixa Cultural de Curitiba. Ingressos R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia entrada). Mais informações:  http://www20.caixa.gov.br/Paginas/Releases/Noticia.aspx?releID=222

Karol Conka:  5 de junho, 20h, no Canal da Música (Mostra “É Daqui”). Ingressos: R$ 15,00. Informações: http://www.e-parana.pr.gov.br/2014/05/246/Karol-Conka-no-Canal-da-Musica.html

Alimentando com Música – Concerto Didático (para crianças): dia 07 de junho, 18h30 e 19h30, na Capela Santa Maria. Ingresso: R$30 e R$15 (menores de 12 anos não pagam). Informações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/musica/agenda/alimentando-com-musica-concerto-didatico

Samba do Compositor Paranaense: toda segunda-feira, das 19h30 às 22h, no TUC (Teatro Universitário de Curitiba). Entrada franca. Informações: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/musica/agenda/samba-do-compositor-paranaense-2

Música no Café – Paul Wegmann e Santiago Beis: 5 de junho, às 18h, no Sesc Paço da Liberdade. Entrada Franca. Informações: http://www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Eles Cantam Caymmy: 6 de junho, às 19h, Sala de Atos do Paço da Liberdade. Ingressos: R$ 5,00 (Comerciário) e R$ 10,00 (Não comerciário). Informações: http://www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

Clube de Jazz do Sesc Paço da Liberdade: 5, 12 e 26 de junho, às 20h, na Sala de Atos do Sesc Paço da Liberdade. Ingressos: R$ 3,00 (Comerciário) e R$ 6,00 (Não comerciário). Informações: http://www.sescpr.com.br/unidades/sesc-paco-da-liberdade/

TEATRO

Cronópios da Cosmopista (inspirada na obra de Cortázar): de 6 a 15 de junho (sexta a domingo, às 20 horas), no Auditório Salvador de Ferrante – Guairinha. Ingressos: R$ 30. As apresentações dos dias 14 e 28 serão fechadas para o SESI e não terão cobrança de ingresso, sendo utilizada apenas a entrada com voucher, sem emissão de ingressos. Mais informações: http://www.teatroguaira.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=1250

Cinderella – O Musical. 07 de junho às 18h e 08 de junho às 15h, no Guairão. Ingressos entre R$ 120,00 e R$ 160,00. Mais informações: http://www.teatroguaira.pr.gov.br/

Ouve-me com o teu corpo inteiro: de 05 a 29 de junho (quinta a sábado, 21h, domingos, 20h), no miniauditório do Guaíra.  Preço Único: R$30,00. Mais informações: http://www.teatroguaira.pr.gov.br/

Flores Dispersas – Fragmentos da Vida e Obra da Poetisa Júlia da Costa: 05 a 15 de junho (quinta a sábado, 21h, domingo, 19h), no Teatro José Maria Santos (Guaíra). Preço Único: R$20,00. Mais informações: http://www.teatroguaira.pr.gov.br/

Haja o que Houver: dia 08 de junho, às 19h, no Teatro Lala Schneider. Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia entrada). Informações: http://www.teatrolala.com.br/

SUPER HOMENS: até 08 de junho (quinta a domingo às 20 hrs, e sábado sessão extra às 18 hrs), no Espaço Excêntrico Mauro Zanatta. Ingressos: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia entrada). Informações: http://atorcomico.com.br/?p=222

Bimbo (infantil): de 06 a 29 de junho (sextas a domingos às 16h), no miniauditório do Guaíra. Ingressos R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia entrada). Mais informações: http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=lazer&id=249688

Gostou? Se você for a uma das atrações que viu aqui e compartilhar em alguma rede social, marque o #tokaoki!